sábado, 2 de julho de 2016

DELATOR CITA REPASSE DE R$ 5 MILHÕES PARA CAMPANHA DE EUNÍCIO

Repasses de R$ 5 milhões em contratos fictícios teriam abastecido caixa dois para a campanha do senador Eunício Oliveira (PMDB) ao governo do Cerá em 2014. A acusação aparece em depoimento de delação premiada do ex-diretor do conglomerado Hypermarcas, Nelson Mello, em suposto esquema de repasses ilegais que beneficiava a cúpula do PMDB no Senado.

Segundo a delação de Mello, Lyra o avisou que um “portador de Eunício” o procuraria em 2014 atrás de doações de campanha. Depois disso, Mello relata que se reuniu com um sobrinho de Eunício, de nome Ricardo, que "pagou despesas de empresas que prestavam serviços à campanha de Eunício" com "contratos fictícios" em R$ 5 milhões.

O delator diz que os contratos foram firmados por meio de três empresas, mas que nenhum serviço foi prestado. "Ao final se providenciou uma nova nota fiscal para totalizar R$ 5 milhões". Entre elas, estaria a Confederal Prestadora de Serviços de Vigilância e Transporte de Valores, em que Eunício é acionista majoritário.

Procurado pelo O POVO Online, o responsável pela defesa de Eunício, o advogado Antônio Carlos, negou todas as acusações da delação, que partiria de uma “base totalmente falsa”. “O Ricardo, da Confederal, nunca viu, esteve ou conheceu o Milton Lyra. Isso já anula tudo que foi dito”, afirma.

Com informações do Jornal Opovo

Nenhum comentário:

Postar um comentário