quinta-feira, 15 de setembro de 2016

ASSASSINATO DE JORNALISTA PODE SE TORNAR CRIME HEDIONDO

"O Projeto de Lei do Senado (PLS) 329/2016, apresentado pelo senador licenciado Acir Gurgacz (PDT-RO), transforma em crime hediondo o homicídio de jornalistas em razão de sua profissão. A punição para crimes hediondos é mais dura.  Os condenados por esse tipo de crime não têm, por exemplo, direito a anistia, graça e indulto. Outra regra é que a pena deve ser cumprida inicialmente em regime fechado.

Acir Gurgacz argumenta que a violência contra profissionais de imprensa é uma afronta à liberdade de expressão e, por isso, nociva à democracia. Citou dados da International Press Institute, que é uma organização dedicada à liberdade de imprensa, segundo os quais o Brasil ficou, em 2013, em oitavo lugar no ranking dos países com mais mortes de jornalistas. Os sete primeiros são: Síria, Iraque, Filipinas, Índia, Paquistão, África do Sul e Somália.

O projeto seguiu para análise na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ). Ainda não há um relator designado para analisar a proposta."

As informações foram publicadas hoje pelo Jornal Diário do Nordeste e traz como capa esta foto do radialista Gleydson Carvaho que foi morto no ano passado vítima de pistolagem dentro do estúdio da Rádio Liberdade, ocasião em que dois pistoleiros adentraram a rádio e efetuaram 3 tiros a queima roupa contra o radialista quando a apresentava seu programa. Passados um ano e dois meses, em entrevista na mesma rádio, o promotor do caso ainda não elucidou a investigação, apesar de alguns participantes do crimes estarem presos preventivamente. Segundo o Ministério Publico do Ceará (MPC), o caso tem motivação política.

Foto: Reprodução/Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário