segunda-feira, 12 de setembro de 2016

FALTA DE INFORMAÇÃO MOTIVA DENÚNCIAS IMPROCEDENTES

Na sala que é aberta apenas por servidor autorizado do Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE-CE), a quantidade de material de propaganda eleitoral apreendido por irregularidade ainda não é grande. Entre bandeiras e caixas espalhadas pelo chão, a maior parte do espaço, montado no Fórum Eleitoral Péricles Ribeiro, na Praia de Iracema, ainda está vazia. O pequeno montante de apreensões não sinaliza que a Justiça Eleitoral não tem recebido denúncias, mas é um dos indicativos de que, dentre as queixas que chegam para serem apuradas, muitas são improcedentes.

As razões para isso, segundo representantes da própria Justiça Eleitoral, vão da desinformação de alguns denunciantes a diferenças de interpretação do que diz a lei. De acordo com o TRE-CE, nas duas primeiras semanas de campanha, que teve início no dia 16 de agosto, das 168 ligações recebidas pelo Disque Eleitor (148) na Capital, por exemplo, apenas 34  ficaram caracterizadas como irregularidades.

Quem acompanha as apurações, contudo, afirma que o número elevado de denúncias improcedentes não atrapalha o trabalho de  fiscalização. As denúncias partem, na maioria das vezes, de eleitores, candidatos, partidos ou coligações.

(com informações Diário do Nordeste)

Nenhum comentário:

Postar um comentário