quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Após derrota na disputa à presidência, Sergio Aguiar assume postura independente na AL/CE

Na manhã de ontem, o candidato à presidência derrotado na eleição da Mesa Diretora da Assembleia, deputado Sérgio Aguiar (PDT), afirmou que sua postura, a partir de agora, será de independência e que não votará mais mensagens do Governo sem a devida análise, coisa que, segundo ele, não era feita no passado. Foi o primeiro pronunciamento do parlamentar, após a eleição da última quinta-feira.
Um grupo de deputados que estiveram ao lado de Aguiar na disputa pela Mesa deve se reunir para analisar o momento político na Assembleia. Dentre os parlamentares que confirmaram presença no encontro estão Silvana Oliveira (PMDB), Ely Aguiar (PSDC), Roberto Mesquita (PSD) e Carlos Matos (PSDB). Outros serão convidados ao longo do dia de hoje.
“Se a classe política está tão maldita na boca da sociedade, talvez o exemplo da eleição de quinta-feira possa ter o mesmo juízo, tendo em vista que o compromisso feito por homens e mulheres que representam a sociedade não se traduziu em honrar seus compromissos”, disparou Sérgio Aguiar.
Pressões
Segundo ele, alguns parlamentares “não têm caráter e a formação” que a maioria tem, e muitos dos que disseram que não cederiam a pressões acabaram o fazendo, o que o deixou descrente em alguns deputados estaduais. “Vamos adotar postura de independência e analisaremos todas as mensagens que chegarem à Casa”, disse.
Entretanto, prosseguiu: “a fidelidade ‘canina’ que eu tinha outrora, a gente vai reavaliar para poder tomar posição política daqui pra frente”, disse o parlamentar, ressaltando ainda que vai analisar convites feitos por outros partidos.
Sérgio Aguiar, antes, já havia reclamado da interferência do governador Camilo Santana na disputa pela presidência da Assembleia, chamando deputados da base para votar em José Albuquerque, segundo ele, em razão do compromisso que existia com o atual presidente da Assembleia, ainda nas discussões de candidaturas no pleito de 2014.
Em mais de uma oportunidade, Sérgio esteve com o governador Camilo Santana e com o ex-governador Cid Gomes, quando ouviu ponderações para desistir da disputa. Ele não aceitou e foi adiante, recebendo apoio de alguns governistas e da oposição. Foi nas últimas horas que o Governo conseguiu reverter os pretensos votos dos governistas a Sérgio, como os dos dois deputados do PCdoB.
Rompimento
Aos conselheiros do TCM, Francisco Aguiar e Domingos Filho, apoiadores da candidatura de Sérgio Aguiar, foi dito pelo governador Camilo Santana que ele considerava como rompimento político a manutenção do apoio. Os dois teriam conversado com deputados com pendências do TCM, pedindo voto para a candidatura de Sérgio.
Domingos, através da mulher, Patrícia, prefeita de Tauá, e do filho, o deputado federal Domingos Neto, comanda o grupo de deputados filiados ao PMB e ao PSD. Eles, a exceção de Osmar Baquit, ficaram com Domingos Filho. Osmar, por sinal, voltou a ser secretário do Governo, dois dias depois da eleição.


A liderança do Governo na Assembleia, isoladamente, tem tratado com alguns deputados ligados ao PSD para retornarem à base aliada, mas, até ontem, alguns ainda não tinham recebido o convite do governador para participarem de uma reunião, hoje, na qual Camilo deverá falar com os deputados sobre as matérias que encaminhará à Assembleia, nos próximos dias, com pedido de regime de urgência para as suas votações.

(Blog Edison Silva)

Nenhum comentário:

Postar um comentário