segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Emprego despenca no mês de dezembro em Camocim e registra o pior mês de 2016, segundo Caged/MTE


O município de Camocim registrou o pior deficit na geração de mão de obra formal no seu mercado de trabalho em dezembro do ano passado. Os dados são do relatório mensal do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego. 

As demissões superam todos os meses anteriores no município, colocando-o entre aqueles com as taxas mais elevadas. Foram 44 admissões ante 293 demissões no mês, resultando numa taxa negativa de -249 vagasOs setores que mais impulsionaram as taxas foram: Indústria e construção civil.

O déficit pode ter relação com as demissões da Democrata Nordeste de Calçados, a maior empregadora do setor privado do município. O corte da empresa foi de quase 200 funcionários nos meses de novembro e dezembro. 

Ceará 
O Ceará eliminou 6.706 vagas formais, durante o mês de dezembro passado, resultado de 30.060 demissões ante 23.354 contratações no Estado.

Brasil 
O Brasil fechou 1.321.994 de postos formais de trabalho no ano passado, segundo os resultados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados nesta sexta-feira, 20, pelo Ministério do Trabalho. O corte de vagas, apesar de menos intenso do que o verificado em 2015 (quando o saldo foi negativo em 1,542 milhão, o pior da história do Caged), mostra que 2016 ainda foi um ano desfavorável em termos de mercado de trabalho.

Fonte: Caged/MTE
André Martins/CPN



Nenhum comentário:

Postar um comentário