segunda-feira, 24 de julho de 2017

TCM: a Assembleia escolherá 4 conselheiros e o Governador 1

O deputado Ely Aguiar (PSDC) analisou, ao defender a manutenção do TCM, que estava diante de um “massacre da vingança”, que aconteceria naquele momento por uma briga na política cearense que eclodiu na eleição da atual Mesa Diretora da Assembleia, e que a Casa estaria sendo usada como instrumento para referendar determinações. “Estamos observando aqui uma opressão, mas o opressor não seria tão forte se não tivesse cúmplice entre os oprimidos. Num país de corruptos e corruptores tem que fortalecer os órgãos de fiscalização”, opinou. “O TCM tem mazelas, mas tem suas virtudes. Quando há erro, procura-se corrigir. Se acham que esse tribunal é cabide de emprego, os senhores contribuíram para isso ao votar as indicações”.

Pela Constituição do Estado do Ceará, quatro dos conselheiros dos tribunais de contas do Estado e dos Municípios, este no caminho da morte, são escolhidos livremente pela Assembleia Legislativa. O governador só indica diretamente um, pois os dois outros conselheiros são obrigatoriamente um Auditor e um Procurador de Contas. Os dois são servidores de carreira dos próprios tribunais, aprovados em concurso público. Cada tribunal é composto por sete conselheiros.

Por Edison Silva/D.N

Nenhum comentário:

Postar um comentário