sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Comprei um imóvel, mas fiz da forma correta?

Adquirir um imóvel próprio é o sonho de todo casal, é a libertação do aluguel, é dormir tranqüilo no leito de seu lar.
Será mesmo?
Adquirir um imóvel pode ser uma dor de cabeça muito grande, mas como evitar?
Ao comprar um imóvel é primordial que você tenha noção do que está fazendo, principalmente quando estamos falando de um investimento alto e que poderá ceifar com suas economias e somente lhe trazer dor de cabeça.
Inicialmente você tem que conhecer bem o Corretor de Imóveis que lhe irá lhe ajudar, pois será fundamental ter um profissional que queira lhe ajudar a encontrar um imóvel ideal para você, e que não lhe oferecerá "qualquer coisa" a "qualquer custo".
Depois, você deve escolher um imóvel bem localizado, em um bairro que você se sinta bem, perto da família, próximo às suas atividades.
Lembre-se que você não estará em casa apenas pela manhã, quando visitar o imóvel.
É de suma importância que visite o imóvel em várias oportunidades, principalmente à tarde, com aquele sol a pino, observando se a construção é para o poente ou nascente. Sugiro que também passe pela rua à noite, para ver como é a iluminação pública e a segurança, além de bater um bom papo com vizinhos, pois eles poderão ser o seu maior pesadelo.
Veja também a qualidade do material empregado, geralmente o Construtor deve ter em mãos as Notas Fiscais dos materiais empregados, fique de olho!
Aprovado o imóvel quanto à qualidade da construção e a localização, você deve observar a documentação do Imóvel.
Escritura Particular, nem pensar!
Exija a que o imóvel tenha Registro Público e observe se a construção do prédio está averbada, pois esta dorzinha de cabeça poderá lhe tirar o sono por muitas e muitas noites.
 Além do Registro Público, observe se não há hipoteca, ou seja, se o imóvel foi dado em garantia a algum banco, você deve observar as certidões que deve exigir do vendedor, pois ele poderá estar passando por problemas que você nem imagina, mas que poderão lhe causar muita chateação.
Dentre as certidões que deverá exigir, as que não devem deixar de ser exigidas, estão as das Fazendas Públicas, além de outras tão importantes quanto estas.
Por fim, o pagamento, que geralmente será um financiamento.
Saiba de uma coisa, há juros bem diferenciados de banco para banco, por isso não caia na primeira armadilha.
Veja também a possibilidade de você adquirir seu imóvel através de um consórcio, que é bem mais vantajoso quanto aos juros finais que estarão embutidos nas prestações.
O meu conselho é que você esteja assessorado por um advogado para que possa verificar a lisura do negócio, para que possa lhe dar um parecer sobre o Registro Público do Imóvel, para que possa lhe indicar quais certidões você deve exigir do vendedor e para que possa fazer a leitura do contrato de financiamento e lhe orientar a respeito.
Enfim, tenha cuidado, pois fazer uma boa compra de um imóvel lhe trará prazer, paz e sossego, bens que não tem preço e que não se encontra nos classificados.

Fique de Olho no seu Direito!

Nathaniel Silveira, especialista em Direito do Consumidor e Previdenciário.  
21 de setembro de 2017  

Nenhum comentário:

Postar um comentário