sexta-feira, 8 de setembro de 2017

Recursos oriundos de crimes em Camocim é destinado a projeto social

É papel do estado punir conforme a lei os infratores e devolvê-los para a sociedade devidamente ressocializados. Porém, tal perspectiva se choca com a atual realidade do sistema penal e carcerário brasileiro tornando quase inviável tal procedimento. O mesmo estado que pune, não é o mesmo que restaura.   
Em Camocim, onde existe a maior comarca de justiça da região, um projeto social pioneiro tem ganhado destaque no cenário jurídico.  
O programa "Restaurando Janelas" de iniciativa do Poder Judiciário local em parceria com o Ministério Público do Ceará e apoiado pelo poder Público Municipal de Camocim, destina recursos oriundos dos crimes cometidos na cidade para programa de treinamento de adolescentes infratores por meio do centro judiciário de solução de conflitos. Abrindo oportunidades para ingresso dos mesmos em oficinas esportivas de kate e widsurf e outras modalidades, bem como música, arte e cultura.   
O projeto escabeçado pelo Juiz Antônio Washington Frota, titular da 2° Vara da Comarca de Camocim é apoio pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e se tornou um modelo para demais unidades judiciárias. 
De atuação respeitada a frente do Fórum local, o Juiz além de ter recebido o apoio de várias ONG's do município, recentemente teve seu nome aprovado para receber título de cidadania camocinense na Câmara e foi indicado ao prêmio Inovare 2017, que busca reconhecer boas práticas no âmbito da justiça brasileira. 

André Martins/CPN

Nenhum comentário:

Postar um comentário