quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Projeto social visa inserir detentos de Camocim no mercado de trabalho

Um dos papeis do estado é punir os infratores segundo as leis e devolvê-los para a sociedade devidamente ressocializados. Porém, na realidade, a tarefa se torna quase impossível diante do problema do sistema carcerário do Brasil. Seja a nível federal, estadual e municipal a situação de superlotação, falta de condições de higiene, segurança e o domínio do crime organizado transforma o local de privação de liberdade numa verdadeira faculdade do crime. 
Um dos bons exemplos contados por aqui por a iniciativa do poder judiciário de Camocim, através do juiz titular da 2° Vara da Comarca de Justiça local, Antônio Washington Frota, que desenvolveu o projeto social chamado Restaurando Janelas, que tem o objetivo de promover cursos e oficinas esportivas financiados com o dinheiro arrecadado com crime na região. A iniciativa rendeu uma indicação ao Prêmio Inovare pela qualidade do projeto. 
Em um dos nossos encontros informais com o Juiz Antônio Washington, ele nos falava da ideia de por em prática, em parceria com a sociedade e as físicas e jurídicas de Camocim, um segundo projeto. Este dará a chance ao detento que reunir as condições exigidas de conseguir uma vaga no mercado de trabalho. A ideia é buscar parcerias com empresas de vários segmentos para que, sob a vigilância da justiça, recolocar os apenados da justiça no mercado de trabalho visando a ressocialização através do emprego.
O projeto social será estudado e planejado para a realidade de Camocim e posteriormente colocado em prática. 

O magistrado acredita que as pequenas ações podem ajudar a transformar a realidade cruel da violência na sociedade. 

André Martins/CPN

Nenhum comentário:

Postar um comentário