sábado, 28 de abril de 2018

Camocim é o terceiro maior exportador de calçados do Ceará e o 23° do Brasil

A indústria calçadista lidera a geração de empregos no Ceará, em 2018. De acordo com estudo realizado pela Coordenadoria de Políticas e Estratégias da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado do Ceará (SDE), com apoio da Agência de Desenvolvimento do Ceará (Adece), 26% dos vínculos empregatícios do Estado são do setor.
Presente nas 14 macrorregiões cearenses, o segmento calçadista é responsável por mais de 56 mil vínculos empregatícios no Estado. Este número supera setores tradicionais da indústria, como vestuário (43 mil), produtos alimentício (35 mil) e têxteis (12 mil). Junto com vestuário, o setor de calçados é responsável por 47% dos empregos gerados pela indústria de transformação local.
Segundo o estudo, 87% do total de empregos da indústria calçadista estão presentes em empresas incentivadas pelo Fundo de Desenvolvimento Industrial (FDI), política de fomento à produção industrial do governo do Ceará que concede incentivos fiscais. Sobral e Horizonte são os municípios que mais empregam no setor, totalizando 22 mil vínculos empregatícios. A nível de Brasil, o setor calçadista cearense é o segundo maior na geração de empregos, representando 16,34%. O Rio Grande do Sul é o líder, com 32%.

Exportação
O Ceará também é líder nacional em quantidade de exportação de calçados e suas partes, representando 38%. Sobral lidera os municípios brasileiros exportadores do segmento. Uruburetama (5º), Camocim (23º), Horizonte (24º) e Quixeramobim (30º) também se destacam. Na lista dos principais produtos exportados no Estado, o setor de calçados ocupa a segunda posição, com 15% de participação. Até 2015, a área liderava as exportações no Ceará. Por conta da Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP), a participação dos produtos metalúrgicos tiveram uma variação de 445%, passando de 15% em 2016 para 51% em 2017. O presidente da Adece, Eduardo Neves, em nota, valorizou o setor calçadista para o desenvolvimento do Estado.

Diário do Nordeste

Nenhum comentário:

Postar um comentário