quarta-feira, 6 de junho de 2018

Marido se entrega e confessa assassinato de professora a golpes de facão no Piauí


Se entregou na tarde desta quarta-feira (6) à Delegacia de Polícia Civil de Luís Correia, no litoral do Piauí, Raimundo Neto Pereira, de 32 anos, que confessou o assassinato a facadas da esposa, Selene Veras Roque, de 28 anos, no último domingo (3), na zona rural do município. A perícia informou que a mulher sofreu 26 perfurações de facão na casa onde morava.
O homem fugiu após cometer o crime. Depois de quase 72 horas foragido se entregou acompanhado do advogado. O homem prestou depoimento na delegacia e foi encaminhado para a Penitenciária Mista de Parnaíba. O delegado de Polícia Civil de Luís Correia, Maikon Kaestner, disse que o homem alegou desentendimento do casal antes do crime.
“O casal já vinha brigando há muito tempo. Já tinham se separado algumas vezes e havia ciúmes por parte dele. Ele falou que a relação estava desgastada e ele não queria a separação. No domingo, ele deixou cedo ela na aula e foi ao bar beber. Meio dia, pegou ela, almoçaram, tiveram uma leve discussão e foram discutindo para o povoado onde moravam. Voltando para casa, eles continuaram a discussão até o momento que ela pediu a separação, dizendo que não o amava mais", relatou.
Em depoimento, o assassino confesso disse que a filha do casal não estava em casa e que não se lembra de detalhes de como foi o crime. “Depois, acirrou a briga até o momento que estavam na sala discutindo, e ele querendo que ela ficasse. A filha não estava no local, estava na casa da madrinha. Ele estava na cozinha, lembra que pegou uma faca e, dizendo ele, que não lembra como foi no calor da emoção. Não lembra quantas facadas, disse que só veio a si quando se deparou com ela morta no chão”, detalhou o delegado.
Após fugir, o homem procurou o irmão que também mora no povoado. De acordo com o delegado, as pessoas que acobertaram Raimundo podem ser indiciadas no inquérito. “Podem ser indiciados, quando for concluir. Todos que ajudaram ele a fugir podem ser indiciados por crime de menor potencial ofensivo, porém serão indiciados também”, disse.

G1/PI

Nenhum comentário:

Postar um comentário