terça-feira, 26 de março de 2019

Caso de bebê enterrada viva pela mãe em Camocim repercute na imprensa britânica


O caso da recém-nascida enterrada viva pela própria mãe no quintal de casa, em Camocim (litoral oeste do Ceará), foi explorado, nesta segunda-feira, pela imprensa britânica.
O site do jornal "Daily Mail" publicou uma reportagem intitulada "Animais desenterram e comem bebê recém-nascido depois que a pequena garota foi enterrada viva pela sua mãe no Brasil", detalhando a história publicada pelo Diário do Nordeste na quinta-feira passada (21).
A publicação britânica detalhou o caso, informando que um cachorro e um porco desenterraram o corpo e comeram o coração, os pulmões e as vísceras. O "Daily Mail" destacou que a mãe de 24 anos foi presa após seu irmão seguir um rastro de sangue até o local onde estavam os animais.
O jornal britânico cita declarações da Perícia Forense de que a criança morreu por asfixia após ter sido enterrada viva. 
"A suspeita confessou ter enterrado a menina e disse que queria abortar, uma vez que já tem dois filhos, um deles adotivo, e estava com medo de ser reprimida pela sua família se tivesse uma terceira criança", informou o "Daily Mail".
A publicação citou que a mulher tomou um chá abortivo e lembrou que o aborto é ilegal no Brasil, exceto em "casos em que há não outro meio de salvar a vida da mãe ou se a gravidez é resultado de estupro".  A interrupção da gravidez de bebês anecéfalos também é permitida.
O "Daily Mail" ilustra a reportagem com imagens da orla de Camocim e a fachada de uma unidade policial.
Imagem da versão eletrônica do Deily Mail

Diário do Nordeste 

Nenhum comentário:

Postar um comentário