segunda-feira, 24 de fevereiro de 2020

Ceará já tem 230 policiais afastados por participação em motim

Já são 230 policiais militares das fileiras do Estado afastados por participação no motim iniciado na última terça-feira (18). Em edição do Diário Oficial do Estado (DOE) publicada neste domingo (23), outros 62 nomes se juntam aos 168 que já haviam sido afastados na sexta-feira (21)
Conforme o DOE,  instaração de Processos Administrativos Disciplinares (PADs) pela Controladoria Geral de Disciplina (CGD) foram contra 61 agentes por "deserção especial", e um por "estimular a paralisação nas redes sociais". Neste domingo, o Estado divulgou as prisões de mais de 30 PMs por deserção.
Segundo o Diário Oficial, os PMs respondem por participação em "condutas transgressivas" e "incapacidade de participação nos quadros da Polícia Militar". 
Os afastamentos são preventivos com duração de 120 dias. Contudo, os policiais já estão foram da folha de pagamento a partir deste mês de fevereiro. 
Os profissionais afastados devem entregar a identificação funcional, distintivo, armas, algemas e qualquer outro elemento que os caracterizem. Eles também terão descontos nos salários já aplicados. Conforme o DOE, há outros procedimentos ainda em andamento, abertos pela Polícia Militar em forma de Inquéritos Policiais Militares (IPMs), remetidos à CGD.

Entenda o caso
O motim de parte dos PMs ocorre desde o final da tarde da última terça (18). No dia seguinte, o senador licenciado e ex-governador Cid Gomes chegou a ser atingindo por 2 tiros de armas de fogo em grande tumulto em Sobral. Em meio a policiais amotinados, há a presença de 2,5 mil soldados do Exército Brasileiro no Ceará reforçando a segurança nas ruas do Estado, além de 150 agentes da Força Nacional que estão na região para conter a crise na segurança pública.
Essas medidas estão dentro da Operação de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) decretada pelo presidente Jair Bolsonaro na última quinta (20).

Diário do Nordeste

Nenhum comentário:

Postar um comentário