sábado, 4 de abril de 2020

Com redução nas exportações, o pescado da semana santa em Camocim abastece o mercado interno

O período de maior movimento do ano no comércio de pescados é a Semana Santa. E Camocim, é um dos grandes produtores do estado. Além do consumo doméstico, as exportações costumam crescer com a demanda típica do período do feriado. 

Com as paralisações geradas pela pandemia do coronavírus, grandes centros que  compram pescados e mariscos de Camocim para abastecerem restaurantes, hotéis e outros segmentos reduções a demanda. 

A movimentação começa bem cedo no mercado de peixes e pontos de vendas de de Camocim. A média de preços das espécies mais consumidas no mercado interno está dentro da média. O cliente poderá encontrar o Pargo de R$ 15,00 a R$ 20,00 o kg, a Cavala e Guaíuba a (R$ 18,00), Serra (R$ 16,00), Arabaiana (R$ 20,00) entre outros. Quem procura costuma procurar mariscos como camarão encontra no valor de R$ 25 até R$ 40,00 dependendo da origem. 

Camocim é um dos grandes produtores da espécie Atum no Ceará. Suas exportações abastecem os estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Santa Catarina, além do mercado interno. Sua cadeia produtiva gera empregos e dividendo para empresários e comerciantes locais. 

Tão logo cessado o período de crise na saúde que afeta a economia, o mercado de pescados em Camocim volta a operará em alta. 


André Martins/Foto reprodução

Nenhum comentário:

Postar um comentário