sexta-feira, 22 de maio de 2020

04 das 06 mortes por Coronavírus em Camocim aconteceram na UPA por falta de vaga de UTI

O município de Camocim confirmou na noite desta sexta-feira, 22, o sexto óbito em decorrência da Covid-19. Trata-se de uma senhora de 77 anos portadora de comorbidades e que residia no bairro Cruzeiro. 

Assim como a senhora em questão, outros três registros de mortes se deram na Unidade Pronto Atendimento - UPA 24Hs de Camocim a espera de leito hospitalar na cidade de Sobral. A situação dramática indica um sistema de saúde saturado com ausência de capacidade instalada capaz de atender a demanda.  

Pelo menos até ontem, data de inauguração de um novo hospital de campanha em Sobral, os leitos estavam todos ocupados e sem condição de receber pacientes de municípios da região. Os casos de Camocim estavam sendo encaminhados para Crateús. 

Na manhã desta quinta-feira, 21, a Prefeitura de Camocim informou a chegada de um respirador mecânico para a UPA 24hs do município, totalizando três do mesmo equipamento na unidade. Porém, o respirador é apenas um componente de um leito hospitalar. 

Até ontem, Camocim contabilizava 139 casos confirmados de Covid-19, 24 pacientes curados, 3 internados e 6 óbitos em decorrência da doença.

Direito

Segundo o Projeto de Lei apresentado pelo Senador Randolfe Rodrigues, no período de emergência decorrente da covid-19, os herdeiros de pessoa falecida por falta de leitos de UTI poderão ter direito a indenização de R$ 60 mil por membro da família e a pensão por lucros cessantes.

Segundo o PL 2.033/2020, a indenização poderá ser paga a viúvos ou companheiros, filhos, pais e irmãos (incluindo netos ou avós, no caso de filhos ou pais pré-mortos), e o valor da pensão mensal será calculado pela média das últimas doze remunerações mensais do falecido, podendo ser acumulado com outros rendimentos e benefícios. 

Por enquanto a lei acima é apenas uma proposta, mas fica o alerta para o estado. 

André Martins

Nenhum comentário:

Postar um comentário