segunda-feira, 22 de março de 2021

De 38 camocinenses internados por Covid-19, 16 são moradores do centro

O município de Camocim vive os efeitos severos da segunda onda da Covid-19. O boletim epidemiológico deste sábado, 21, apontou para o maior número de pacientes internados desde o início da pandemia. 

Ao todo, são 38 camocinenses em leitos hospitalares para tratar o novo coronavírus, 276 em isolamento domiciliar e 99 óbitos. Dos 38 pacientes internados, 16 deles são residentes no centro da cidade, bairro com maior número de internações, seguido por Cruzeiro (06) e Boa Esperança e São Francisco com 3 cada um. Além disso, o município registrou 13 óbitos em 13 dias. Uma média de um morte pela covid-19 por dia em Camocim.

Diferente do ano passado, em 2021, os hospitais e alas especializadas para a Covid vivem um colapso. O número de ocupações superou a demanda pela procura de leitos e já registou morte de pacientes por falta de UTI. 

Segundo especialistas, uma das características da nova cepa da Covid-19, é o prolongamento do tempo de internação de pacientes em leitos hospitalares. O que torna mais difícil para administrar a regulação. 

O município segue testando e vacinando conforme a oferta de vacinas e quantidade de teste que dispõe. Enquanto, não chegarmos ao pico da doença e a vacina não for suficiente para a maioria, a única saída continua sendo o isolamento social para reduzir a velocidade de novos casos.

André Martins

Nenhum comentário:

Postar um comentário