quarta-feira, 31 de março de 2021

Governo vai antecipar vacinação de policiais que atuam na linha de frente da Covid-19

 

Em um momento em que alguns estados já alteram a ordem do plano de vacinação contra a Covid-19, o Ministério da Saúde informou nesta terça-feira (30) que irá antecipar a imunização de profissionais das forças de segurança e salvamento e de membros das Forças Armadas que atuem com equipes de saúde.

Segundo Francieli Fontana, coordenadora do Programa Nacional de Imunizações (PNI), a antecipação ocorrerá com base em critérios específicos.

"Fomos bastante demandados sobre isso e fomos buscar as atividades executadas. Muitos estão atuando no transporte de pacientes e na vacinação. Entendemos que alguns desses grupos devem ser atendidos já na próxima pauta tendo em vista essa atuação", disse a coordenadora.

A mudança foi aprovada em reunião com secretários estaduais e municipais de saúde. No Ceará, o governador Camilo Santana realizou reunião, nesta terça, com os secretários da Segurança e da Saúde para discutir a inclusão dos profissionais de Segurança do Estado no grupo prioritário. No Pará, esses profissionais já estão sendo imunizados.

De acordo com Francieli Fontana, a ideia é que os profissionais sejam divididos em dois grupos, em que o primeiro seria alvo da antecipação e o segundo, seguiria a ordem já prevista no plano de vacinação.

No primeiro grupo, alvo da antecipação, entram aqueles que atuam:

no atendimento ou transporte de pacientes contra a Covid;

no resgate e atendimento pré-hospitalar;

nas ações de vacinação;

na vigilância de medidas de distanciamento, "principalmente na vigilância das unidades básicas de saúde e outras unidades"

No segundo grupo, que deve seguir a ordem do plano de vacinação, entram membros das forças de segurança que atuam em ações de apoio logístico à vacinação (mas que não ficam diretamente em contato com a população), que atuam no transporte de insumos para áreas de risco e aqueles que trabalham na vigilância de fronteiras, espaço aéreo, marítimo, além dos demais militares. (Via DN)

Nenhum comentário:

Postar um comentário